<p>Entre 1941 e 1943, movimentos judaicos de resistência contra os nazistas desenvolveram-se em cerca de cem guetos na área da Europa Oriental ocupada pela Alemanha. Suas metas principais eram organizar revoltas, fugas dos guetos e união com as comunidades partisans na luta contra os alemães. Os judeus sabiam que apenas revoltas não conseguiriam deter os nazistas, e que com elas somente uns poucos combatentes conseguiriam escapar e juntar-se aos grupos que lutavam de forma clandestina. Mesmo assim, corajosamente, decidiram resistir. Paralelamente, sob as condições mais adversas, prisioneiros judeus conseguiram criar ações de  resistência e revoltas em alguns campos de concentração nazistas, inclusive nos centros de extermínio de Treblinka, Sobibor e Auschwitz. Outras revoltas ocorreram em campos como Kruszyna (1942), Minsk Mazowiecki (1943) e Janowska (1943). Em várias dezenas de campos, prisioneiros organizaram fugas para juntar-se às unidades de guerrilheiros anti-nazistas.</p>

Tags

A Resistência Judaica

Thank you for supporting our work

We would like to thank The Crown and Goodman Family and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.