Testemunho

Gerda Weissmann Klein descreve a celebração de seu aniversário no gueto de Bielsko

Em 1939, o irmão de Gerda foi deportado para realizar trabalho escravo. Em junho de 1942, a família de Gerda foi deportada do gueto de Bielsko. Enquanto seus pais foram enviados para Auschwitz, Gerda foi enviada para o sistema de campos de concentração de Gross-Rosen, onde ela trabalhou como escrava em fábricas têxteis até o final da Guerra. Gerda foi libertada após uma marcha da morte, usando as botas de esqui que seu pai havia lhe dito a ajudariam a sobreviver. Ela se casou com seu libertador americano.

Transcrição

[Lá atrás] Minha mãe havia decidido que eu teria uma festa. E, agora, tive uma ótima surpresa, pois acabei de celebrar meus sessenta e cinco anos com outra grande festa de aniversário. Uma amiga minha, que hoje vive em Detroit, combinou com meu marido e meus filhos e eles fizeram uma festa surpresa para mim – ela veio do Arizona para participar. Ela também estava naquela festa de aniversário[no gueto]. A festa de aniversário foi um grande evento porque minha mãe tinha um pouco de aveia e fez biscoitos maravilhosos. Todos nós jurávamos que eram iguais a nozes, tinham gosto de nozes. E eu tive uma festa de aniversário onde aconteceu uma coisa incrível: ganhei uma laranja! Eu sempre amei laranjas. Tempos depois, descobri que minha mãe havia saído do gueto e vendido um anel de pérola e diamante para comprar aquela fruta. Aquele foi o último presente de aniversário que ganhei de meus pais.


  • US Holocaust Memorial Museum Collection
Ver detalhes arquivísticos

Dividir

Thank you for supporting our work

We would like to thank The Crown and Goodman Family and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.