O Mosaico das Vítimas (Artigo Resumido)

Embora os judeus fossem seus alvos principais, os nazistas e seus colaboradores também perseguiram outros grupos por razões raciais ou ideológicas. Entre as primeiras vítimas da discriminação nazista na Alemanha estavam os oponentes políticos, principalmente os comunistas, os socialistas, os social-democratas e os líderes sindicais. Os nazistas também perseguiram autores e artistas cujas obras consideravam subversivas, ou apenas por serem judeus, sujeitando-os a prisões, restrições econômicas e outras formas de discriminação. Os nazistas perseguiram os ciganos por razões raciais, e membros daquele grupo estiveram entre as primeiras vítimas a serem mortas em caminhões de gás móveis no centro de extermínio de Chelmno, na Polônia. Os nazistas também deportaram mais de 20.000 ciganos para o campo de Auschwitz-Birkenau, onde a maioria deles foi assassinada nas câmaras de gás. Os nazistas viam os poloneses e outros povos eslavos como inferiores. Os poloneses que fossem considerados ideologicamente perigosos (tais como intelectuais e padres católicos) foram mortos [os nazistas decidiram que os demais eslavos seriam escravos da "raça superior"]. Entre 1939 e 1945, pelo menos 1.5 milhão de cidadãos poloneses foram deportados para o território alemão para executar trabalho escravo. Centenas de milhares também foram presos em campos de concentração nazistas. Estima-se que os alemães assassinaram pelo menos 1.9 milhão de civis poloneses (cristãos) durante a Segunda Guerra Mundial.

Durante o outono e primavera europeus de 1941 e 1942, na União Soviética ocupada, as autoridades alemãs conduziram sua política racista de assassinato em massa contra prisioneiros de guerra soviéticos. Os judeus, as pessoas com "traços asiáticos" e os principais líderes políticos e militares eram imediatamente separados e abatidos a tiros. Outras três milhões de pessoas foram aprisionadas propositadamente em campos provisórios ao relento, sem alimentação ou medicamentos adequados, para que morressem à míngua. Na Alemanha, os nazistas prenderam líderes das igrejas cristãs que se opuseram ao nazismo, bem como milhares de Testemunhas de Jeová que se recusavam a saudar Adolf Hitler ou a servir no exército alemão. O "Programa de Eutanásia" nazista assassinou cerca de 200.000 pessoas com deficiências físicas ou mentais. Os nazistas também perseguiram os homossexuais do sexo masculino, cujo comportamento era considerado um obstáculo para a preservação da [pureza da] nação germânica.