Testemunho

Norbert Wollheim descreve sua libertação em Schwerin, no nordeste da Alemanha, em maio de 1945

Norbert havia estudado Direito e era assistente social em Berlim. Ele trabalhava no Kindertransport, Transporte de Crianças, providenciando o envio de crianças judias da Europa central para a Grã-Bretanha. Seus pais, que também moravam em Berlim, foram deportados em dezembro de 1942. Norbert, sua esposa e seu filho foram deportados para Auschwitz em março de 1943. Ele foi separado de sua família e enviado à fábrica de Buna, perto de Auschwitz III (Monowitz), para efetuar trabalho escravo. Norbert sobreviveu ao campo de Auschwitz, e foi libertado pelas forças norte-americanas na Alemanha, em maio de 1945.

Transcrição

Eu me lembro muito, muito bem, daquela manhã de 3 de maio de 1945, quando vimos a bandeira norte-americana içada, pendurada nas árvores da floresta que cercava Schwerin, e entendemos que havíamos acabado de renascer e que todos havíamos recebido uma nova oportunidade de vida. Lembro que nos abraçamos uns aos outros. Eu estava em um pequeno grupo de pessoas e nós ríamos e chorávamos. Havia um enorme sentimento de alívio, mas também havia um sentimento de dor pois sabíamos que aquele momento pelo qual havíamos esperado por anos e anos havia chegado, mas nós não poderíamos compartilhá-lo com aqueles que mereciam, com nossas próprias famílias. Também entendemos outra coisa, sobretudo os judeus perseguidos: nós não tínhamos mais um lar para onde regressar. Eu, pessoalmente, sabia que voltar a Berlim era ilusório. Não consegui encontrar mais ninguém e, por isto, tive que ficar temporariamente em outro local. Sabia que não ficaria na Alemanha, pois para mim o país havia se transformado em um grande cemitério. Aquela era a situação dos sobreviventes, principalmente a dos sobreviventes judeus. O mundo estava celebrando, eu me lembro da felicidade dos franceses que estavam entre nós quando viram a bandeira tricolor pendurada no telhado de Schwerin, e eles dançaram. Nós não podíamos dançar, não tínhamos direito de dançar. Então, aquele foi um momento de tremenda felicidade, mas também de profunda tristeza.


  • US Holocaust Memorial Museum Collection
Ver detalhes arquivísticos

Dividir

Thank you for supporting our work

We would like to thank The Crown and Goodman Family and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.