<p>Adolf Hitler Discursa em um Comício das SA. Dortmund, Germany, 1933. </p>

Adolf Hitler

Adolf Hitler foi o líder indiscutível do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães – conhecido como nazista – desde 1921. Em 1923, ele foi preso e encarcerado por tentar derrubar o governo alemão. Seu julgamento trouxe fama e seguidores. Ele usou o tempo de prisão subsequente para proferir suas ideias políticas em um livro, Mein Kampf (Minha luta). Os objetivos ideológicos de Hitler incluíam a expansão territorial, a consolidação de um estado racialmente puro e a eliminação dos judeus europeus e de outros povos vistos como inimigos da Alemanha.

Fatos-Chave

  • 1

    Após sua libertação da prisão, em 1924, Hitler começou a buscar poder político por meios legais, como eleições, em vez de tentativas violentas de derrubar o governo.

  • 2

    Técnicas de propaganda modernas, como imagens fortes e mensagens simples, ajudaram a impulsionar Hitler, nascido na Áustria, de um extremista pouco conhecido a um dos principais candidatos nas eleições presidenciais de 1932 na Alemanha.

  • 3

    Um equívoco comum sobre a ascensão de Hitler ao poder é que ele foi eleito por votação. Em janeiro de 1933, o presidente Paul von Hindenburg nomeou Hitler Chanceler, chefe do governo alemão.

Primeiros anos e Primeira Guerra Mundial

Cena Durante a Batalha do [Rio] Somme

Adolf Hitler (1889 – 1945) nasceu em 20 de abril de 1889, na cidade fronteiriça de Braunau am Inn, na Alta Áustria. Em 1898, a família Hitler mudou-se para Linz, capital da Alta Áustria. Buscando uma carreira nas artes visuais, Hitler lutou duramente com seu pai, que queria que ele ingressasse no serviço público dos Habsburgos.

Hitler viveu em Viena entre fevereiro de 1908 e maio de 1913, quando partiu para Munique. Lá, ele vagou e se sustentou pintando aquarelas e esboços até que a Primeira Guerra Mundial deu um novo rumo à sua vida. Ele se juntou ao exército. Durante a guerra, foi ferido duas vezes (em 1916 e 1918) e recebeu várias medalhas.

Em outubro de 1918, depois de ficar parcialmente cego em um ataque de gás mostarda perto de Ypres, na Bélgica, Hitler foi enviado a um hospital militar em Pasewalk. Notícias do armistício de 11 de novembro de 1918 o alcançaram enquanto ele se recuperava. Liberado do hospital em novembro de 1918, Hitler voltou a Munique.

Em 1919, ele ingressou no Gabinete de Informação da Administração Militar da Baviera. Este escritório reuniu inteligência sobre partidos políticos civis e forneceu “educação política” anticomunista para as tropas. Em agosto de 1919, como instrutor do curso, Hitler fez seus primeiros discursos antissemitas violentos. Um mês depois, ele expressou pela primeira vez uma ideologia antissemita e racista no papel, defendendo a remoção dos judeus da Alemanha.

Líder do Partido Nazista

Hitler aderiu ao que viria a ser o Partido Nazista em outubro de 1919. Ele ajudou a conceber o programa político do partido em 1920. O programa foi baseado no antissemitismo racista, nacionalismo expansionista e hostilidade contra os imigrantes. Em 1921, ele era o Führer (líder) absoluto do Partido Nazista. Em dois anos, o número de membros do Partido Nazista aumentou para 55.000, com o apoio de mais de 4.000 homens dos paramilitares SA (Sturmabteilung; Tropas de Choque).

Prisão

Rejeitando a participação política nas eleições de Weimar, Hitler e a liderança do Partido Nazista buscaram derrubar o governo da Baviera, um estado da República de Weimar. O Putsch da Cervejaria ocorreu em 9 de novembro de 1923. Depois que o golpe fracassou, um tribunal de Munique julgou Hitler e outros líderes sob a acusação de alta traição. Hitler usou o julgamento como palco para atacar o sistema de democracia parlamentar e promover nacionalismo xenófobo. Hitler foi considerado culpado, mas recebeu uma sentença leve e foi solto depois de cumprir apenas um ano de detenção. Ele usou seu tempo na prisão para começar a escrever Mein Kampf (Minha luta), sua autobiografia, publicada em 1926. No livro, ele revelou uma visão da história humana explicitamente nacionalista, social darwinista e antissemita baseada em raça. Ele defendeu a ditadura em casa, a expansão militar e a tomada de “espaço vital” (Lebensraum) no Leste. Este espaço vital era onde os alemães pretendiam limpar o leste das populações indígenas e “inferiores”.

Estratégia política

Hitler discursando em campanha eleitoral

Após sua libertação da prisão, Hitler reorganizou e reunificou o Partido Nazista. Ele mudou sua estratégia política para incorporar o envolvimento na política eleitoral, programas voltados para eleitores novos e alienados e a construção de pontes para superar os conflitos tradicionais na sociedade alemã.

Usando uma linguagem elaborada para refletir os medos e esperanças dos eleitores em potencial, os nazistas fizeram campanha pela

  • Renovação da capacidade de defesa nacional
  • Restauração da soberania nacional
  • Aniquilação do comunismo
  • Revogação do Tratado de Versalhes
  • Eliminação da influência política e cultural judaica e estrangeira na Alemanha e reversão da depravação moral que ela supostamente criou
  • Produção de prosperidade econômica e criação de empregos

Testando essa estratégia nas eleições parlamentares nacionais de 1928, os nazistas receberam decepcionantes 2,6% dos votos.

Com o início da Grande Depressão em 1930, a agitação nazista começou a ter um impacto crescente na população alemã. Quando o governo de coalizão da maioria ruiu em março, os três partidos de classe média invocaram disposições constitucionais de emergência para realizar eleições parlamentares extraordinárias, na esperança de produzir uma maioria governante que excluiria permanentemente os social-democratas e a esquerda política do governo. Quando essa manobra falhou, os governos alemães em 1930-1932 passaram a governar por decreto presidencial em vez de consentimento parlamentar. 

Avanços eleitorais

Os nazistas fizeram seu avanço eleitoral em 1930, combinando tecnologia e pesquisa de mercado político modernas com intimidação por meio da violência, pela qual a liderança poderia negar a responsabilidade. A energia juvenil do partido, não contaminada por associações anteriores com governos democráticos, também os ajudou a superar as barreiras eleitorais. Eles obtiveram quase um quinto do voto popular, atraindo eleitores novos, desempregados e alienados.

Hitler era um orador eloquente e ardiloso que atraía um grande número de seguidores alemães desesperados por mudanças. O apelo nazista cresceu continuamente em 1931 e 1932, criando uma sensação de inevitabilidade de que Hitler chegaria ao poder e salvaria o país da paralisia política, empobrecimento econômico, atrofia cultural e comunismo. Após concorrer à presidência da República na primavera de 1932, Hitler e os nazistas obtiveram 37,3% dos votos nas eleições de julho de 1932. Eles se tornaram o maior partido político da Alemanha. A campanha eleitoral constante depois de 1930, acompanhada por violência nas ruas com motivação política, aumentou o número de membros do Partido Nazista para 450.000, as SA para mais de 400.000 e a SS para mais de 50.000 em 1932.

Chanceler da Alemanha

Ao deixar a Chancelaria do Reich após reunião com o presidente Paul von Hindenburg, Adolf Hitler é aclamado por multidão em seu carro.

A parcela nazista dos votos caiu para 33,7% nas eleições parlamentares de novembro de 1932. A diminuição atenuou o apelo de Hitler e criou uma crise política e financeira no Partido Nazista. O ex-Chanceler (junho-novembro de 1932) Franz von Papen resgatou Hitler. Von Papen acreditava que as perdas eleitorais nazistas os tornavam mais suscetíveis ao controle pelas elites conservadoras mais experientes, mas impopulares. Disposto a arriscar uma coalizão nacionalista nazista-alemã com Hitler como Chanceler, von Papen chegou a um acordo com Hitler e os nacionalistas alemães no início de janeiro de 1933. Ele convenceu o presidente Paul von Hindenburg de que a Alemanha não tinha outras opções. Relutantemente, von Hindenburg nomeou Hitler Chanceler em 30 de janeiro de 1933.

Após sua nomeação como chanceler, Adolf Hitler começou a lançar as bases do Estado nazista. Ele aproveitou todas as oportunidades para transformar a Alemanha em uma ditadura de partido único.

O presidente alemão Paul von Hindenburg morreu em agosto de 1934. Hitler garantiu o apoio do exército com o expurgo de Röhm em 30 de junho de 1934. Ele aboliu a presidência e se autoproclamou Führer do povo alemão (Volk). Todo o pessoal militar e todos os funcionários públicos prestaram um novo juramento de lealdade pessoal a Hitler como Führer. Hitler também continuou a ocupar o cargo de Chanceler do Reich (chefe do governo).

Thank you for supporting our work

We would like to thank Crown Family Philanthropies and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.