Testemunho

Edward Adler descreve o agrupamento e a deportação dos judeus para a cidade de Oranienburg, perto do campo de Sachsenhausen

Edward nasceu no seio de uma família judia em Hamburgo. Em 1935, as Leis de Nuremberg proibiram casamentos ou relações sexuais entre judeus e não-judeus alemães. Edward tinha cerca de 25 anos quando foi preso por haver saído com uma mulher não judia. Classificado como criminoso contumaz, ele foi deportado para o campo de concentração de Sachsenhausen, próximo a Berlim, onde foi obrigado a realizar trabalhos pesados em obras de construção. Pouco antes de ser preso, Edward havia se casado e sua esposa havia tomado providências para que eles conseguissem sair da Alemanha. Em setembro de 1938, Edward foi solto e deixou a Alemanha. Ele ficou com familiares em Amsterdã, na Holanda, e posteriormente emigrou para os Estados Unidos.

Transcrição

Havíamos ido a uma festa de aniversário no dia 14 de junho com uns amigos, então, quando chegamos em casa, devia ser por volta da meia-noite. Às quatro horas da manhã, escutamos uma batida na porta eeu pensei que fossem nossos amigos voltando para continuar a festa. Eu disse: "Ei, voltem para casa, já nos divertimos bastante por hoje. São quatro horas, e eu tenho que trabalhar amanhã". As batidas continuaram; eu abri a porta e dois homens com roupas comuns e armas entraram na sala. "Você está preso." "Preso? Por quê? Eu não fiz nada." Nenhuma pergunta foi feita. Eles não nos empurraram naquele momento. Eu me vesti e eles nos levaram até a delegacia do bairro. Eu entrei numa sala talvez do tamanho desta aqui. Devia ter duzentas ou trezentas pessoas lá dentro, e não sabíamos o que estava acontecendo. "Por que, por que você está aqui?", "Eu não sei, eu não fiz nada". Não sabíamos de nada, nada. Não fazíamos a mínima ideia do que iria acontecer, tudo que sabíamos era que estávamos presos. Por volta das sete ou seis horas da manhã, eles nos colocaram em caminhões e nos levaram a uma estação ferroviária afastada, em um lugar chamado Fuhlsbuettel. É o nome do lugar, fica em um subúrbio de Hamburgo. Os caminhões foram escoltados pela polícia – na verdade, aqueles carros eram das Tropas de Choque, não eram carros de polícia, a polícia privada não tinha nada a ver com aquilo. Havia um carro na frente do caminhão e outro atrás, e um de cada lado com cães de caça. Para ser irônico, eles queriam ter certeza de que ninguém iria se perder, né? Eles nos levaram à estação ferroviária e fomos carregados, fomos colocados em trens normais, não em vagões de carga como o que aconteceu mais tarde; não estávamos em vagões de carga, fomos em um trem normal, e foram várias horas de viagem no trem. Não sabíamos para onde estávamos indo, não tínhamos ideia do que estava acontecendo, e você pode imaginar a ansiedade, algumas pessoas mais velhas – eu era apenas um jovem, mas havia alguns mais velhos – começaram a chorar, não sabíamos, o que havíamos feito. Quando chegamos em Berlim, eles nos colocaram novamente em caminhões...não, não foi assim. Fomos para uma cidade chamada Oranienburg, que é um subúrbio de Berlim. A que distância de Berlim eu não sei exatamente. O trem parou, eles nos empurraram para fora do trem e começamos a marchar em direção ao campo.


Tags


  • US Holocaust Memorial Museum Collection
Ver detalhes arquivísticos

Thank you for supporting our work

We would like to thank The Crown and Goodman Family and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.