Ceija Stojka

Ceija Stojka

Data de Nascimento: 1933

Kraubath bei Knittelfeld, Áustria

Ceija era a quinta dos seis filhos de um casal de ciganos de religião católica apostólica romana. A família Stojka viajava em sua carroça junto a uma caravana que passava os invernos em Viena, capital da Áustria, e os verões na área rural austríaca. Os Stojkas eram parte de uma tribo cigana denominada Lowara Roma, a qual vivia do comércio itinerante de cavalos.

1933-39: Eu cresci acostumada com a liberdade, viagens e trabalho duro. Certa vez, meu pai fez uma saia com o material de um guarda-sol quebrado e me deu de presente. Quando eu tinha 5 anos, durante o inverno , e nossa carroça estava estacionada em um acampamento em Viena, quando a Alemanha anexou a Áustria, em março de 1938. Os alemães nos mandaram permanecer ali. Meus pais tiveram que converter a nossa carroça em uma casa de madeira, e nós tivemos que aprender a cozinhar em um forno, não mais na fogueira.

1940-44: Os ciganos foram forçados a se registrar como membros de outra "raça". Nosso acampamento foi cercado e colocado sob a guarda da polícia. Eu tinha 8 anos quando os alemães levaram meu pai embora; alguns meses depois minha mãe recebeu suas cinzas em uma caixa. Depois, eles levaram a minha irmã, Kathi. Por fim, eles deportaram todos nós para um campo de concentração nazista destinado a ciganos, em Birkenau. Nós morávamos ao lado de um crematório, e chamávamos o caminho que passava à frente de nossas barracas de "estrada para o inferno", porque ele levava às câmaras de gás.

Mais tarde, em 1945, Ceija foi libertada no campo de Bergen-Belsen. Após a Guerra, ela documentou e publicou músicas dos ciganos Lowaras sobre o Holocausto.

Thank you for supporting our work

We would like to thank The Crown and Goodman Family and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.