An assembly point (the Umschlagplatz) in the Warsaw ghetto for Jews awaiting deportation. Warsaw, Poland, between 1940 and 1943.

Deportações

Deportações Nos meses seguintes à Conferência de Wannsee, o regime nazista continuou a executar seus planos para a “Solução final”. Os judeus eram “deportados”, isto é, carregados como carga em trens ou caminhões para seis campos, todos localizados na Polônia ocupada: Chelmno, Treblinka, Sobibor, Belzec, Auschwitz-Birkenau e Majdanek-Lublin.

Os nazistas chamavam aqueles locais de “campos de extermínio”. A maioria dos deportados era imediatamente executada, em grandes grupos, com gases venenosos. O uso de gases venenosos ao invés do fuzilamento foi escolhido como o melhor método para o extermínio em massa, pois os nazistas o consideravam mais "limpo" e "eficiente". As câmaras de gás também evitavam o “estresse” sentido pelos membros dos esquadrões móveis de extermínio ao fuzilar pessoas face a face. Os centros de extermínio se localizavam em áreas isoladas, semi-rurais, bem escondidas da população. Eles ficavam perto das principais ferrovias, permitindo que os trens transportassem rapidamente centenas de milhares de pessoas até os locais de extermínio.

Muitas das vítimas eram trazidas de guetos próximos, algumas a partir de dezembro de 1941, mesmo antes da reunião em Wannsee, mas as SS só começaram a evacuar os guetos de forma maciça no verão de 1942. Em apenas dois anos, mais de dois milhões de judeus foram levados dos guetos para a morte. No verão de 1944, poucos deles ainda existiam no leste europeu.

À medida que os guetos eram evacuados, grandes quantidades de judeus e ciganos eram levados de países distantes, ocupados ou controlados pela Alemanha, incluindo França, Bélgica, Holanda, Noruega, Hungria, Romênia, Itália, Grécia e o Norte da África para os campos. As deportações exigiam o auxílio de muitas pessoas e o envolvimento de todos os setores do governo. As vítimas na Polônia já estavam segregadas em guetos e totalmente sob o controle alemão. A deportação dos judeus de outras partes da Europa, no entanto, era um problema muito mais complexo. O Ministério das Relações Exteriores da Alemanha conseguiu pressionar a maioria dos governos das nações ocupadas e aliadas a ajudar os alemães no processo de deportação dos judeus que viviam em seus países.

DATAS IMPORTANTES

15 DE JULHO DE 1942
HOLANDA , INÍCIO DAS DEPORTAÇÕES SISTEMÁTICAS

Os judeus que estavam na Holanda foram concentrados no campo de passagem de Westerbork. A maioria deles lá permaneceu por pouco tempo, até ser deportada para os centros de extermínio ao leste (na Alemanha e na Polônia). A partir de 15 de julho de 1942, os alemães deportaram aproximadamente 100.000 judeus que estavam aprisionados em Westerbork: cerca de 60.000 para Auschwitz, mais de 34.000 para Sobibor, quase 5.000 para o gueto de Theresienstadt e aproximadamente 4.000 para o campo de concentração de Bergen-Belsen. A grande maioria dos deportados foi executada logo que chegou aos campos.

22 DE JULHO DE 1942
JUDEUS DE VARSÓVIA SÃO DEPORTADOS PARA O CENTRO DE EXTERMÍNIO DE TREBLINKA

Entre 22 de julho e meados de setembro de 1942, mais de 300.000 pessoas foram deportadas do gueto de Varsóvia: mais de 250.000 delas foram enviadas ao centro de extermínio de Treblinka. Os deportados eram obrigados a comparecer ao Umschlagplatz (ponto de deportação) ligado à ferrovia Varsóvia-Malkinia. Eles eram aglomerados em vagões de carga e a maioria enviada ao campo de Treblinka, via Malkinia. A maioria absoluta dos deportados era executada assim que chegava em Treblinka. Em setembro, no fim das deportações em massa de 1942, restavam apenas cerca de 55.000 judeus no gueto.

15 DE MAIO DE 1944
INÍCIO DAS DEPORTAÇÕES SISTEMÁTICAS DOS JUDEUS DA HUNGRIA

As forças alemãs ocuparam a Hungria em 19 de março de 1944. Em abril do mesmo ano, todos os judeus, com exceção dos de Budapeste, foram aprisionados em guetos. As deportações sistemáticas dos guetos húngaros para Auschwitz-Birkenau começaram no mês seguinte, em maio de 1944. Em menos de três meses, cerca de 440.000 judeus foram deportados da Hungria em mais de 145 trens. A maioria absoluta foi exterminada ao chegar em Auschwitz