<p>Vista da Cerca de arame farpado que separava parte do gueto da Cracóvia do restante da cidade. Cracóvia, Polônia.  Foto de data incerta.</p>

A "Solução Final"

A "Solução Final" O ponto de origem da “Solução final”, isto é, o plano nazista para exterminar o povo judeu, permanece incerto, mas a verdade é que o genocídio dos judeus foi o ponto culminante de toda uma década de políticas nazistas persecutórias sob o comando de Adolf Hitler. A “Solução final” foi implementada em fases. Depois que o Partido Nazista assumiu o poder, o governo alemão racista progressivamente criou leis antissemitas, ordenou e incentivou boicotes contra os judeus, deu início à sua eliminação através do processo de “arianização” e, por fim, apoiou o pogrom [OBS: chacina dos judeus] denominado “Noite dos Cristais” – tudo com o objetivo de eliminar os judeus da sociedade alemã. Após o início da Segunda Guerra Mundial, as políticas antissemitas passaram a ser um instrumento do plano nazista mais amplo de confinamento e, posteriormente, extermínio total dos judeus em todo o mundo.

Os nazistas estabeleceram guetos [OBS: áreas cercadas, controladas pela polícia alemã e seus colaboradores locais] na Polônia ocupada, e milhoes de judeus poloneses e de outros países do oeste europeu foram deportados para estes locais de confinamento. Em 1941, durante a invasão alemã à União Soviética, os esquadrões móveis de extermínio (Einsatzgruppen) começaram a eliminar comunidades judaicas inteiras. Os métodos inicialmente utilizados--fuzilamento e câmaras de móveis de gás envenenado-- logo foram considerados demorados e não muito eficientes, além de causarem cansaço fisico e estresse emocional nos assassinos.

Após a Conferência de Wannsee, em janeiro de 1942, os nazistas deram início à deportação sistemática dos judeus de todas as áreas da Europa por eles ocupadas, levando-os para seis campos de extermínio estabelecidos no território polonês ocupado - Chelmno , Belzec, Sobibor, Treblinka, Auschwitz-Birkenau e Majdanek. Os campos de extermínio eram centros de morte, criados especialmente para a eliminação dos judeus, e neles cerca de três milhões de israelitas foram mortos por envenenamento em câmaras de gás.

A “Solução final” demandava a destruição dos judeus, fosse por envenenamento por gás, fuzilamento, atos aleatórios de terror, ou doenças e inanição. No final da Guerra, como resultado do plano nazista, seis milhões de judeus haviam sido assassinados, dois terços de todos os judeus que viviam da Europa antes dos nazistas subirem ao poder.

DATAS IMPORTANTES

22 DE JUNHO DE 1941
ESQUADRÕES DE EXTERMÍNIO ACOMPANHAM AS TROPAS ALEMÃES DURANTE A INVASÃO DA UNIÃO SOVIÉTICA

Esquadrões móveis de extermínio, chamados de Unidades de Serviços Especiais (Einsatzgruppen), foram enviados para matar os judeus encontrados no caminho durante a invasão da União Soviética. Estes esquadrões acompanhavam o exército alemão durante seu avanço no território soviético e realizavam operações de extermínio em massa. A princípio, os esquadrões atiravam principalmente contra judeus adultos do sexo masculino, mas pouco depois, por onde quer que passassem, atiravam indiscriminadamente contra qualquer judeu que encontrassem – homens e mulheres, crianças e velhos, sadios e doentes, religiosos e não-religiosos, soviéticos ou não. Durante a primavera de 1943, os esquadrões mataram mais de um milhão de judeus e dezenas de milhares de partisans [OBS: civis que lutavam contra os nazistas], ciganos, e políticos soviéticos.

8 DE DEZEMBRO DE 1941
O PRIMEIRO CENTRO DE EXTERMÍNIO INICIA SUAS OPERAÇÕES

Em 8 de dezembro de 1941, o centro de extermínio de Chelmno começou a operar. Posteriormente, os nazistas estabeleceram cinco outros campos: Belzec, Sobibor, Treblinka, Auschwitz-Birkenau (parte do complexo de Auschwitz) e Majdanek. As vítimas em Chelmno eram executadas em furgões de gás (eram colocadas dentro de caminhões hermeticamente vedados, com o escapamento voltado para seus interiores). Os campos de Belzec, Sobibor e Treblinka usavam o monóxido de carbono gerado por máquinas que ficavam próximas às câmaras de gás. Auschwitz-Birkenau, o maior dos centros de extermínio, possuía quatro grandes câmaras (de gás) que usavam o agente químico Zyklon B (ácido cianídrico), e as câmaras de gás em Majdanek usavam monóxido de carbono e Zyklon B. Milhões de judeus foram mortos nas câmaras de gás dos centros de extermínio como parte da “Solução Final”.

20 DE JANEIRO DE 1942
A CONFERÊNCIA DE WANNSEE E A "SOLUÇÃO FINAL"

Em 20 de janeiro de 1942, foi aberta em Berlim a Conferência de Wannsee, um encontro entre as SS (guarda de elite do estado nazista) e agências do governo alemão. Foi discutida e coordenada a implementação da “Solução Final”, a qual já estava em andamento. Em Wannsee, as SS estimaram que a “Solução Final” envolveria o extermínio de mais de 11 milhões de judeus europeus, incluindo aqueles de países não ocupados pelos nazistas, como a Irlanda, a Suécia, a Turquia e a Grã-Bretanha. Entre o outono de 1941 e o de 1944, as ferrovias alemãs transportaram milhões de pessoas para os centros de extermínio localizados no território da Polônia ocupada.