<p>Fachada de uma loja de propriedade de judeus destruída durante a Kristallnacht (Noite dos Cristais). Berlim, Alemanha, 10 de novembro de 1938.</p>

A “Noite dos Cristais”

A “Noite dos Cristais” Na noite de 9 de novembro de 1938 teve início a onda de violência contra os judeus em todo o Reich [OBS: Alemanha]. Embora os ataques parecessem expontâneos, como se fossem uma revolta natural da população alemã contra o assassinato de um oficial daquele país por um adolescente judeu em Paris, na verdade, o ministro alemão da propaganda, Joseph Goebbels, e outros líderes nazistas haviam organizado os pogroms [OBS: chacina dos judeus] cuidadosamente, muito antes deles acontecerem. Num período de apenas dois dias, mais de 250 sinagogas foram queimadas, cerca de 7.000 estabelecimentos comerciais judaicos destruídos, dezenas de judeus foram mortos, e cemitérios, hospitais, escolas e casas judias saqueados, tudo ante a total indiferença da polícia e dos bombeiros [e da população]. Os pogroms ficaram conhecidos como Kristallnacht ou "Noite dos Cristais" [OBS: também “Noite dos Vidros Quebrados”], devido aos vidros estilhaçados nas vitrines das lojas, sinagogas e moradias de judeus.

Na manhã seguinte, 30.000 judeus alemães do sexo masculino foram presos pelo “crime” de serem judeus, e enviados a campos de concentração onde centenas acabaram morrendo. Algumas mulheres judias também foram detidas e enviadas para prisões locais. Estabelecimentos comerciais de propriedade de judeus não puderam ser reabertos, exceto os que passaram a ser gerenciados por não-judeus. Toques de recolher foram impostos, limitando as horas do dia em que os judeus podiam sair de suas casas.

Após a “Noite dos Cristais”, a vida de adolescentes e crianças judias na Alemanha e na Áustria se tornou ainda mais difícil: além de serem barrados em museus, parques e piscinas, também foram expulsos das escolas públicas. Os jovens, assim como seus pais, passaram a viver totalmente segregados naqueles países. Desesperados, muitos judeus cometeram suicídio. As famílias judias desesperadamente passaram a tentar sair da Alemanha e da Áustria.

DATAS IMPORTANTES

28 DE OUTUBRO DE 1938
JUDEUS POLONESES EXPULSOS DA ALEMANHA

Cerca de 17.000 judeus poloneses foram expulsos da Alemanha e obrigados a retornar à Polônia. No entanto, eles também foram proibidos de pisar em solo polonês, e a maioria dos deportados ficou sem ter para onde ir, em uma terra de ninguém entre a Alemanha e a Polônia, perto da cidade de Zbaszyn. Entre eles estavam os pais de Herschel Grynszpan, um judeu de origem polonêsa, de 17 anos, que vivia com seus tios em Paris enquanto aguardava tornar-se maior de idade para emigrar para o futuro Estado de Israel.

7 DE NOVEMBRO DE 1938
DIPLOMATA ALEMÃO BALEADO EM PARIS

O jovem judeu polonês Herschel Grynszpan, de 17 anos, atirou em Ernst vom Rath, um diplomata ligado à embaixada alemã na França. Este ato de Grynszpan é atribuído ao seu desespero com o destino de seus pais, à míngua em uma área perigosa situada entre a Alemanha e a Polônia. Os nazistas usaram o incidente para incitar o fervor antissemita alemão, divulgando em todas as mídias que Grynszpan não havia agido sozinho, que ele fazia parte de uma grande conspiração judaica contra a Alemanha. Vom Rath morreu dois dias depois.

9 DE NOVEMBRO DE 1938
JOSEPH GOEBBELS EXIGE UMA ATITUDE RADICAL

O ministro alemão da propaganda, Joseph Goebbels, fez um inflamado discurso antissemita para os fiéis membros do Partido Nazista em Munique, que estavam reunidos para comemorar a tentativa fracassada do Nazi Putsch de 1923 (a primeira tentativa de Adolf Hitler de tomar o poder). Após o discurso, os oficiais nazistas ordenaram que as Tropas de Choque (SA) e outras formações do Partido atacassem os judeus e destruíssem suas casas, escolas, estabelecimentos sociais e comerciais, bem como suas casas de oração, as sinagogas. A violência contra os judeus continuou até a manhã do dia 10 de novembro, e o evento ficou conhecido como Kristallnacht, a “Noite dos Cristais” [também conhecida como a Noite dos Vidros Quebrados]. Nas manifestações pelas ruas [pogroms], dezenas de judeus foram linchados pelas multidões alemãs, e dezenas de milhares foram presos e enviados para campos de concentração.

12 DE NOVEMBRO DE 1938
NAZISTAS MULTAM COMUNIDADE JUDAICA

O estado nazista aplicou uma multa de um bilhão de Reichsmarks (cerca de US$ 400.000.000) à comunidade judaica da Alemanha. Após o pogrom, os judeus foram obrigados a limpar a cidade e consertar os estragos feitos pelos vândalos alemães. Eles foram proibidos de reivindicar às seguradoras o ressarcimento pelos danos às suas pessoas e propriedades. Ao invés disto, o governo confiscou os pagamentos que as seguradoras deveriam ter pago aos judeus. A partir daquele pogrom, os judeus foram sistematicamente excluídos de toda a participação na vida pública alemã.