Testemunho

Tomasz (Toivi) Blatt descreve as operações com uso de gás venenoso no campo de extermínio de Sobibor

Tomasz nasceu no seio de uma família judia na em Izbica. Depois do início da Guerra, em setembro de 1939, os alemães montaram um gueto naquela cidade. Como Tomasz trabalhava em uma oficina [um trabalho necessário para os nazistas], sua profissão o protegeu de ser capturado como suspeito pela polícia no gueto. Em 1942, portando documentos falsificados, ele tentou fugir para a Hungria mas foi apanhado. Posteriormente, ele conseguiu voltar para Izbica. Em abril de 1943, ele e sua família foram deportados para Sobibor. Tomasz conseguiu fugir durante a revolta [dos judeus prisioneiros] de Sobibor. Assim, ele conseguiu se esconder e trabalhar como emissário da resistência polonesa.

Transcrição

Tenho certeza de que, mesmo quando os judeus entravam nas câmaras de gás, eles não conseguiam acreditar [no que estava por acontecer]. Quando o primeiro jato de gás entrava [na câmara], provavelmente eles ainda não entendiam o que estava acontecendo. Depois que [éramos obrigados a] cortar o cabelo dos prisioneiros [que iriam entrar na câmara], os nazistas nos mandavam sair dali e, já no caminho de volta para o campo em que estavam nossas barracas, eu ouvia o barulho do motor, o motor do gás funcionando em alta potência. Eu escutava o motor de gás e os gritos. As pessoas que estavam sendo assassinadas começavam a gritar muito alto, era um som de "Ahhh...." muito alto, mais alto que o barulho do motor. Eles [os alemães] tinham um motor grande lá. Depois de uns 15 minutos diminuía o barulho, diminuía até ficar tudo em silêncio. Assim era Sobibor.


Tags


  • US Holocaust Memorial Museum Collection
Ver detalhes arquivísticos

Dividir

Thank you for supporting our work

We would like to thank The Crown and Goodman Family and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.