Testemunho

Charlene Schiff descreve uma escola infantil clandestina no gueto de Horochow

Os pais de Charlene eram líderes da comunidade judaica local e a família participava ativamente na mesma. O pai de Charlene era professor de filosofia na Universidade de Lvov. A Segunda Guerra Mundial começou com a invasão alemã da Polônia, no dia 1º de setembro de 1939. A cidade de Charlene se localizava na região oriental da Polônia, ocupada pela União Soviética sob o Pacto Germano-Soviético, de agosto de 1939. Com a ocupação soviética, a família permaneceu em sua casa e o pai de Charlene continuou lecionando. Os alemães invadiram a União Soviética em junho de 1941, e após a ocupação, prenderam o pai de Charlene. Ela nunca mais o viu. Charlene, sua mãe e sua irmã foram forçadas a ficar em um gueto construído pelos alemães, em Horochow. Em 1942, Charlene e sua mãe fugiram do gueto depois de ouvir rumores de que os alemães iriam destruí-lo. Sua irmã tentou se esconder em outro lugar e ninguém nunca mais soube dela. Charlene e sua mãe se esconderam em arbustos na margem do rio. Passaram parte do tempo submersas na água, conseguindo evitar serem descobertas. Elas passaram muitos dias escondidas. Um dia, Charlene acordou e descobriu que sua mãe havia desaparecido. Charlene sobreviveu sozinha nas florestas próximas a Horochow e foi libertada pelas tropas soviéticas. Por fim, ela emigrou para os Estados Unidos.

Transcrição

No começo, minha mãe e várias outras mulheres organizaram uma escola clandestina para crianças que não tinham idade para trabalhar, e isso era uma coisa maravilhosa porque tínhamos algo pelo qual esperar. Isso nos fazia esquecer a fome e tudo aquilo, as insatisfações de levar uma vida tão primitiva. Essa escola funcionou por vários meses. Muitas das mulheres, inclusive a minha mãe, faziam trocas do lado de fora e traziam lápis de cor, papel, livros, e elas contavam histórias, nós cantávamos e coloríamos. Isso era algo pelo qual esperávamos ansiosos. Era realmente... se pelo menos tivesse durado, mas não durou. Durou poucos meses. E logo não havia mais jóias ou dinheiro para fazer as trocas. Não havia mais material, material escolar, e o estado de espírito meio que decaiu no gueto. As mulheres voltavam para casa, muito cansadas e com muita fome. Elas estavam muito desgastadas para fazerem um cara feliz para nós, crianças. E então isso também se desintegrou.


Tags


  • US Holocaust Memorial Museum Collection
Ver detalhes arquivísticos

Dividir

Thank you for supporting our work

We would like to thank The Crown and Goodman Family and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.