Testemunho

Lucine Horn descreve a ocupação de Lublin pelos alemães

Lucine nasceu no seio de uma família judia em Lublin. Seu pai era intérprete do tribunal e sua mãe era dentista. A Guerra começou com a invasão da Polônia pelos alemães, em 1º de setembro de 1939, e a casa de Lucine foi saqueada pelos nazistas logo em seguida. Após a ocupação alemã de Lublin, os judeus que ali moravam foram obrigados a usar um distintivo que os identificava como judeus. Em novembro daquele mesmo ano, foi criado um gueto em Lublin, e em novembro de 1942 os alemães o destruíram, [enviando os judeus para o extermínio ou para a escravidão]. Lucine sobreviveu a várias campanhas de extermínio e deportações do gueto durante os meses de março e abril daquele mesmo ano. Em abril de 1942, aquelas pessoas que possuíam carteiras de trabalho válidas foram transferidas para um novo gueto, Majdan Tatarski, próximo ao campo de extermínio de Majdanek. Lucine fugiu de Majdan Tatarski em novembro de 1942, o mês em que os alemães destruíram o gueto. Ela escapou para Varsóvia, onde entrou no gueto local pela primeira vez e, então, conseguiu se esconder no lado "ariano" [da "raça superior", segundo os nazistas].

Transcrição

Tudo que eu via eram aqueles alemães loucos correndo pela cidade, invadindo casas e pegando tudo o que conseguiam. Então, aquele grupo de alemães entrou na nossa casa, [e eles] arrancaram o anel, o relógio e tudo o que havia nas mãos da minha mãe, pegaram tudo que tínhamos, tudo o que quiseram, quebraram as porcelanas, bateram na gente e saíram correndo.


  • US Holocaust Memorial Museum Collection
Ver detalhes arquivísticos

Dividir