Testemunho

Joseph Maier descreve o comportamento de Hjalmar Schacht durante os julgamentos de Nuremberg.

Joseph emigrou para os Estados Unidos em 1933 após concluir seus estudos universitários em Leipzig. Seus pais e seu irmão já haviam partido da Alemanha para aquele país. Lá Joseph estudou na Universidade de Columbia. De 1940 a 1943, ele foi editor-assistente de um jornal judeu alemão em Nova Iorque. Em 1944, ele trabalhou na embaixada norte-americana na Grã-Bretanha como analista de propaganda [divulgada pelos nazistas]. Em 1946, ele foi para Nuremberg, na Alemanha, como intérprete [do tribunal que julgava os crimes da Guerra]. Lá, ele participou da análise de material nazista e efetuou transcrições [reproduções de textos escritos], além de participar [como tradutor] de vários interrogatórios durante os julgamentos de Nuremberg.

Transcrição

Todos eles, com uma única exceção, me deram a mesma impressão, uma impressão muito triste e sombria. A única exceção, porque ele tinha um QI extraordinário, foi Hjalmar Schacht, o ex-presidente do Reichsbank [Banco Central Alemão]. Ele tinha um QI muito alto, sabe? Mas a coisa mais estranha era que ele queria ser interrogado, como o foi no final, por um coronel [norte-americano]que posteriormente foi juiz do Tribunal Federal dos Estados Unidos. Hjalmar Schach era especialista em economia e queria ser interrogado para mostrar seu brilhantismo e capacidade naquela área, e insistiu em ser interrogado por alguém a quem ele pudesse realmente revelar qual era sua contribuição para o estabelecimento e o enfraquecimento [da economia], nascidas dentro do governo nazista, até que ele foi expulso [do governo]. Aquele homem tão inteligente, o único com um QI superior, que me impressionou tanto, sentou-se no banco dos réus do Tribunal Militar como se fosse por um erro de nossa parte, [era como se ele só houvesse se] associado a um tipo errado de clube. Ele disse: "...parecia que a coisa toda não tinha nada a ver comigo, ela só dizia respeito a aquele bando desorganizado ali. E com razão, com razão. Mas eu não deveria ter me associado a eles". No final ele foi absolvido.


Tags


  • US Holocaust Memorial Museum Collection
Ver detalhes arquivísticos

Dividir

Thank you for supporting our work

We would like to thank The Crown and Goodman Family and the Abe and Ida Cooper Foundation for supporting the ongoing work to create content and resources for the Holocaust Encyclopedia. View the list of all donors.